quarta-feira, 11 de março de 2015

Para Chamar um Demônio

Para Chamar um Demônio


Um Demônio está em liberdade. E é mau até os ossos.
Com os músculos e mente esgotados, Inaeus lançou a espada. O aço grosso enfeitiçado se enterrou profundamente na coluna vertebral do monstro. O Demônio gritou sob a noite em sua dor… Que deveria ter sido o final de tudo. Não foi.
O Demônio está mais uma vez em liberdade e desta vez possui um poderoso cristal que vai deixando mais mortes ao seu passo. Com a aproximação da lua cheia, Inaeus deve matar ao demônio e destruir o cristal antes que ele possa chamar a vários irmãos do inferno.
Inaeus sabe quem convocou o Demônio. Conde. Sua antiga colega, sua ex-amiga. A única mulher que não pode ter. Conde não tem nenhuma lealdade à Liga que ele serve e rompeu sua confiança há muito tempo. Mas agora ela está de volta e se oferece para lhe ajudar a derrotar a criatura.
Por quê?
Vindo o inferno ou as Arpías uivadoras, Inaeus está determinado a conseguir a verdade de Conde. Se viverem tempo suficiente.

Opinião da revisora Irany: Acho que a revisora final vai ter que achar um sentido nesta história (que eu achei bem confusa até quase o final).

Opinião da revisora Fabrícia - A história fala de 2 amigos que foram traídos. O mocinho é um guerreiro que é salvo pela heroína. Um conto curto para quem gosta do sobrenatural.

Nenhum comentário :

Postar um comentário